postado por Alice18.07.2019

Madelaine Petsch é a capa da edição de agosto da revista ‘Seventeen Mexico’. A atriz concedeu uma entrevista exclusiva à revista contando um pouco sobre Riverdale. Confira a entrevista traduzida:

Você já sabe que a famosa série Riverdale, baseada nos quadrinhos ‘Archie Comics’, já vai para a sua quarta temporada e, por isso, não poderíamos deixar de falar com uma de suas protagonistas: Madelaine Petsch. Assim como sua personagem, Cheryl, ela também é segura de si mesma e não tem medo de dizer o que pensa. Nesta entrevista exclusiva, Madelaine nos contou sobre o outro lado de Cheryl e sobre sua paixão por atuar.

Amamos sua personagem em Riverdale, mas queremos te conhecer um pouco mais. Conte-nos primeiro um pouco da sua experiência de ter nascido nos Estados Unidos, crescido na África do Sul e voltar a Los Angeles para seguir seus sonhos.

Nasci em Washington, nos Estados Unidos, mas meus pais são da África do Sul e era muito importante para eles que eu entendesse minhas raízes e soubesse sobre a minha cultura; dessa forma, voltamos para a África do Sul e vivemos lá por algum tempo quando eu era pequena. Fico muito feliz que eles tenham tomado essa decisão, porque agora consigo entender perfeitamente a conexão que eu tenho com o país, com a cultura e com o resto da minha família. Depois voltei aos Estados Unidos e me mudei para Los Angeles.

Você se lembra de qual era seu maior sonho quando tinha 17 anos?

Meu maior sonho era ser capaz de criar minha arte (atuação).

Como foram as audições para se juntar ao elenco de Riverdale?

Bom, eu fiz audição para outra série, Legends of Tomorrow, mas, casualmente, o diretor das audições dessa série também estava procurando pessoas para interpretar os personagens de Riverdale. Quando cheguei, me disseram que estavam justamente fazendo um piloto (primeiro episódio) e queriam que eu fizesse audição para esse piloto e não para a série que eu fui originalmente para as audições. Depois dessa audição, recebi uma chamada do meu agente dizendo que queriam que eu fizesse audição para o papel de ‘Betty’ em Riverdale. Na verdade não me queriam para esse papel, só queriam me conhecer. Depois disso, esperei por volta de 4 meses até receber uma ligação dizendo que me queriam no papel de Cheryl Blossom. A partir desse momento, todos me disseram que esse era o meu papel e que eu tinha que convencer todos disso. Foi uma grande experiência!

O que você tem em comum com Cheryl Blossom?

Não muito. Uma das coisas que mais nos ajuda a nos relacionar com ela, é a situação de estar confusa consigo mesma ou não saber o seu propósito. Ela se encontra na mesma situação.

Como é a sua relação com o elenco fora do set?

Somos todos melhores amigos. Realmente nos amamos. Me sinto muito sortuda de trabalhar com pessoas tão boas para mim. Somos muito próximos.

É difícil interpretar a ‘vilã’ e ser ‘grosseira’ com seus amigos enquanto estão gravando?

Na verdade não, porque estou atuando. Na realidade, quem é má com eles é Cheryl, não eu. Quando é assim, estou falando com Veronica e Betty, não com Camila e Lili. E na realidade, Cheryl não é má, ela simplesmente está passando por muitíssimas coisas e está enfrentando situações difíceis, como sua sexualidade ou seus pais. Na realidade há muito mais por trás disso.

O que veremos de diferente na Cheryl durante a quarta temporada?

Não posso dizer muito, mas em geral acho que essa será a temporada favorita de todos.

Sua experiência na escola é parecida com a experiência que você vive nas gravações da série?

Não, ai meu Deus, nem um pouco. Eu estudei em uma escola de arte, então não havia uma equipe de líderes de torcida ou de futebol, foi muito diferente.

Hoje em dia, a representação positiva da comunidade LGBT é necessária. Como você se sente de ter o poder de criar uma sociedade mais inclusiva através da série e da sua personagem em suas mãos?

Acredito que é algo realmente lindo e poderoso. Me sinto muito honrada e sortuda de poder levar essa representação positiva à televisão. Etanto a Vanessa [Morgan] como eu temos essa responsabilidade de atuar o mais natural possível e refletindo na sociedade. Dessa forma, nós frequentemente conversamos com os criadores e escritores sobre a importância de fazer com que tudo seja real. Buscamos igualdade nas telas e é por isso que estamos lutando. É incrível o quanto isso é importante tanto pra mim quanto pra Vanessa. Também me admira o quanto os fãs nos apoiam e aceitam.

O que você mais gosta na Cheryl e Toni como um casal?

Acredito que o mais bonito de ‘Choni’ é que a Toni conhece o lado vulnerável de Cheryl. No começo, assistíamos a uma Cheryl dura e forte, até que ela conhece Toni e se abre por completo.

Qual é a razão de ter começado sua vida vegana? Foi difícil se adaptar?

Prefiro que mencione como uma ‘dieta à base de plantas’. Meus pais me educaram dessa maneira, não foi muito a minha decisão. Estou feliz que eles tenham feito isso porque me sinto mais saudável e contente, já que os animais e o meio ambiente são muito importantes para mim. Como meus pais me educaram assim, não tive muito trabalho em me adaptar a esse estilo de vida.

O que você pensa sobre ser um modelo a seguir para muitas adolescentes ao redor do mundo?

É uma das coisas mais importantes do meu trabalho! Por exemplo, falando sobre a representação dentro da comunidade LGBTQI, uma das coisas mais incríveis que aconteceram comigo é conhecer fãs que se inspiram em mim e me contam que se assumiram e que se sentem bem consigo mesmos graças à Cheryl e à Toni. É incrível que você possa afetar a vida de uma pessoa de uma maneira tão positiva. Isso me admira no meu trabalho. Me admira pensar que a minha arte possa mudar a vida das pessoas e que as pessoas se identifiquem tanto.

Como foi que você começou o seu canal no Youtube?

A razão pela qual eu comecei foi porque, infelizmente, muitos dos espectadores de Riverdale acreditavam que eu era a Cheryl, quando na realidade não é assim, eu sou a Madelaine. Eu queria mudar essa percepção das pessoas sobre mim e queria que me conhecessem como Madelaine, não como Cheryl.

De onde vêm suas ideias e inspirações para seus vídeos?

Não sei, de vários lugares. Vejo vídeos ou algumas pessoas me sugerem temas.

Como você administra seus comentários nas redes sociais, tanto os positivos quanto os negativos, de milhões de seguidores?

Tenho pessoas maravilhosas ao meu redor e procuro focar nisso. Por exemplo, não tenho o aplicativo do Twitter em meu celular porque acredito que é a rede social onde vemos mais ódio. Se preciso tuitar algo, peço para que alguém o faça por mim.

Seu cabelo é naturalmente ruivo e você nunca o pintou. Você tem algum cuidado secreto? 

Acho que minha mãe me mataria se eu o pintasse. Faço coisas normais, eu o lavo e quando sinto que está ressecado, eu o hidrato. Nada fora do normal.

Quais são seus planos para o futuro?

Eu acabei de filmar um filme que estreará em 2020. Tenho alguns outros projetos que estou muito ansiosa para que vocês vejam.

Tem alguma coisa que você queira dizer para os seus fãs do México e da América Latina?

Sim, que os amo. Muito obrigada por seu apoio, vocês são os melhores!

Tradução e adaptação: Madelaine Petsch Brasil. 

deixe o seu comentário!